quinta-feira, 24 de abril de 2014

Camisa do Centenário!!


Dentro da proposta de comemoração do seu primeiro Centenário, o América Futebol Clube, preparou lançamento de uma camisa especial que será oferecida ao seu torcedor dentro do projeto Sócio Centenário. A camisa é uma réplica do fardamento utilizado pelo clube na conquista do campeonato de 1922, o título que deu ao América o nome de Campeão do Centenário.

Isto se deve porque o Brasil comemorava, em 1922, os 100 anos de independência politica, portanto os campeões daquele ano detiveram o Troféu Centenário da Independência do Brasil!! Ao longo de sua história o clube Alviverde conquistou 6 campeonatos pernambucanos e um troféu Nordeste!!

A camisa do Centenário foi produzida pela Garra,marca de material esportivo pernambucana, tem como característica a cor verde predominante,mangas e golas brancas, na parte frontal o escudo do clube, logomarca comemorativa e marca do fornecedor do material esportivo. Na parte de trás o nome do clube é o número 100!!!

A camisa foi lançada no sábado 12 de abril de 2014, sendo vendida por R$ 130,00, o primeiro lote foi todo vendido, existe ainda algumas camisas que podem ser encomendadas a diretoria, de acordo com o presidente Celso Muniz Filho a camisa estará a venda em maio na loja do clube.


terça-feira, 22 de abril de 2014

Everaldo avalia vitória do América diante do Vera Cruz





Participando em todos os gols do América, dando o passe para os dois primeiros tentos alviverdes e marcando o terceiro gol de pênalti, Everaldo foi um dos principais destaque esmeraldino diante do  Vera Cruz, neste último sábado, pela segunda rodada do Campeonato Pernambucano SUB-20.

No final da partida, o meia-atacante do América avaliou sua participação na partida e a sua evolução como encara sua volta no time do SUB-20, após a disputa da Série A2 em 2013 e do Campeonato  Pernambucano de 2014.

Técnico Valter Mendes analisa vitória alviverde no SUB-20


Após a vitória tranquila do América diante do Vera Cruz, pela segunda rodada do Campeonato Pernambucano SUB-20, o técnico Valter Mendes deu a sua análise do que foi a partida esmeraldina, que deixou o time da Estrada do Arraial na liderança do grupo C ao lado do Santa Cruz.

Liderando os juniores desde 2013, Valter comentou também a participação dos jogadores egressos a divisão de base, após a disputa do Campeonato Pernambucano Série A2 em 2013 e da última edição do Campeonato Pernambucano.

Confira a sonora:

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Vitória tranquila no SUB-20



Na tarde do último sábado o América venceu o Vera Cruz por 3 a 0  no Ademir Cunha em partida válida pelo Pernambucano da categoria.

O América exerceu uma forte pressão no time tricolor e apertava a saída de bola forçando o erro do time adversário. A postura ofensiva na linha de frente e na marcação permitiu a criação de boas jogadas, mas que não foram concluídas em gol. Até os 30 minutos, quando Everaldo fez um primoroso lançamento de 50 metros nos pés de Romarinho, que fez jogada individual pela esquerda e cruzou com perfeição para Jackson abrir o marcador de cabeça.

No segundo tempo o América seguiu marcando forte e o segundo gol saiu novamente da parceria Everaldo-Romarinho. Everaldo fez brilhante jogada individual pela esquerda e cruzou na área, Romarinho se antecipou ao zagueiro e ampliou o marcador. Aos 39 minutos do segundo tempo Everaldo fechou o placar com um gol de pênalti.

Com o resultado o América somou 4 pontos e depois do empate entre Santa Cruz e Vitória nesta segunda, o Mequinha encostou ainda mais na liderança do grupo. Agora, apenas um gol separa o líder Santa Cruz do América.

Essa diferença curta é a pimenta do próximo jogo, marcado para o Ademir Cunha no sábado às 15:00 hs, entre o América e o Santa Cruz.

Comemoração de Everaldo, após o terceiro gol alviverde | Foto: Washington Vaz

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 2x1 Central em abril de 1976

Folha esportiva do Jornal do Commercio de 07 de abril
de 1976 destacando a rodada do campeonato pernambucano.
Entre as pessoas que nasceram no ano de 1976 podemos citar o ator baiano Wagner Moura (Capitão Nascimento no filme “Tropa de Elite” de 2007 e Spider no filme “Elysium” de 2013), O jogador baiano Magno Alves (campeão brasileiro da série C – 1999 pelo Fluminense-RJ e atualmente no Ceará-CE), o cantor estadunidense Chester Bennington (vocalista da banda de rock Linkin Park), o ex-jogador Camanducaia (com passagens por Santos-SP, Bahia e Santa Cruz), o ex-jogador Cláudio Caçapa (campeão mineiro com o Atlético-MG em 2000 e hexacampeão francês em 2007 defendendo o Lyon), Cláudio Mercante (árbitro pernambucano do quadro da CBF) e o ex-jogador alemão Michael Ballack (campeão alemão pelo Bayer de Munique em 2005/2006 e campeão inglês pelo Chelsea em 2009/2010). Falecia neste mesmo ano o ator norte-americano Richard Arlen (David Armstrong no filme “Asas” de 1927), a escritora britânica Agatha Christie (autora de obras como “O Mistério do Trem Azul” de 1928 e “Passageiro para Frankfurt” de 1970), o ex-presidente João Goulart (presidiu o Brasil de 1961 a 1964), o também ex-presidente Juscelino Kubitschek (presidente de 1956 a 1961), o poeta e compositor recifense Osvaldo Santiago (autor do livro “Gritos do Meu Silêncio” de 1926 e da música “Hino a João Pessoa” sucesso na voz de Francisco Alves em meio a Revolução de 1930) e o ex-jogador Roberto Batata (participante da campanha do Cruzeiro-MG, que viria a ser campeão da Taça Libertadores da América meses depois). Este ano marcou o centenário de nascimento do escritor Afrânio Peixoto (autor de “Poeira da Estrada” de 1918) e foi o ano dos Jogos Olímpicos de Montreal (Canadá) e de sucessos na música como “Juventude Transviada” de Luiz Melodia, “Meu Mundo e Nada Mais” de Guilherme Arantes, “Nuvem Passageira” de Hermes de Aquino e “Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás” de Raul Seixas.

Nota de destaque do Jornal do Commercio de 07/04/1976 ressaltando
o trabalho do treinado alviverde Jálber Carbalho
A primeira fase do segundo turno do campeonato pernambucano de 1976 chegava a sua segunda rodada no dia 7 de abril, exatamente no dia no aniversário do Náutico que enfrentaria o Íbis no Estádio dos Aflitos. Nosso tema será a partida preliminar América x Central que aconteceria naquela noite de quarta feira em Recife sob a arbitragem do Sr. Sebastião Rufino, auxiliado por Armindo Tavares e Batuel Macedo. O “Mequinha” vinha de um empate contra o Ferroviário do Recife, enquanto que o time caruaruense vinha de derrota para o Sport, o que colocava ambas as equipes em situação de necessidade de vitória para não se distanciar da liderança.

Ilustração de América x Central no Estádio dos Aflitos no dia 07 de
abril de 1976 (jogo preliminar de Náutico x Íbis)
O treinador Jálber Carvalho do América não podia contar com o jogador Valdo, que estava com uma lesão no tornozelo e se encontrava no departamento médico aos cuidados do Dr. Marco Guerra. Além disso, Jálber, que concentrou com todo o elenco no ginásio de esportes Geraldão no bairro da Imbiribeira, faria duas alterações com relação à equipe que empatou com o Ferroviário, numa tentativa de aumentar a eficiência do ataque. Desta forma, Bonfim ganhou a vaga no ataque no lugar de Hamilton, principalmente depois do gol que marcou no treino do dia anterior realizado na Escola de Aprendizes Marinheiros em Olinda e a outra mudança seria a entrada do goleiro Godói no lugar do goleiro Batista. Sebastião Rufino autorizou o início da partida e o América sem perder tempo encurralou o Central, que passou maior parte do primeiro tempo recuado, numa tentativa de evitar a marcação do gol esmeraldino e pegar a defesa adversária de surpresa para sair de Recife com a vitória. O domínio alviverde só veio surtir resultado aos 33 minutos quando o lateral direito Carlinhos soltou a bomba para vencer o goleiro centralino Ivã. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 CENTRAL e a vitória começava a se desenhar. O Central de Caruaru procurou reagir e finalizou com perigo em algumas oportunidades, porém sem sucesso. No segundo tempo, as investidas do time “Patativa do Agreste” aumentaram, todavia, continuou a errar na hora do arremate final. Aos 10 minutos brilhou a estrela do célebre jogador Robertinho, que driblou a defensiva alvinegra e arrematou para as redes defendidas por Ivã para aumentar o marcador no Estádio dos Aflitos. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X0 CENTRAL para a festa da torcida do clube de Casa Amarela.

Jálber Carvalho resolveu fazer uma alteração no ataque esmeraldino e sacou Bonfim para a entrada de Clóvis. Depois do gol, o América recuou e chamou o Central para o jogo, que pressionou a defensiva americana com insistência e depois de tanto insistir, conseguiu na marca dos 27 minutos descontar no placar por intermédio do meio campista Tchau (isso mesmo, Tchau!), que chutou de forma indefensável contra o goleiro Godói. AMÉRICA 2X1 CENTRAL era o que estava registrado no placar do Estádio Eládio de Barros Carvalho. O gol alvinegro animou o Central e o treinador Schiler Diniz, que tirou os jogadores Patota e Zequinha e colocou em seus respectivos lugares os atletas Zé Carlos e Hélio Lima, fez por meio de suas substituições tornar o Central um time mais ofensivo.

Nos últimos minutos de partida o Central teve uma chance incrível de empatar quando Hélio Lima entrou livre de marcação na grande área e chutou forte, para uma defesa magistral e poucas vezes igualável do arqueiro Godói do América, que com sua qualidade segurou o resultado de vitória. No final AMÉRICA 2X1 CENTRAL foi o resultado final e os jogadores que naquele dia 07 de abril de 1976 participaram deste grande jogo, foram os seguintes:





AMÉRICA:
Godói;
Carlinhos, Alexandre, Nilo e Daniel;
Vicentinho e Marcos Costa;
Mozart, Vagner, Robertinho e Bonfim.

CENTRAL:
Ivã;
Gonçalves, João Correia, Moreira e Franklin;
Patota e Tchau;
Zequinha, Paulinho, Paraguaio e Régis.




América vence Jaguar no futebol feminino



Neste domingo a cidade de Jaboatão dos Guararapes foi palco de mais um evento esportivo, válido pelo campeonato pernambucano de futebol feminino 2014. O Jaguar de Jaboatão recebeu às 16:00 no Estádio Jefferson de Freitas (JF), o América Futebol Clube do Recife estando estas equipes em situações completamente opostas na tabela de classificação.

Vista do gramado sentido oeste
A equipe do Jaguar, que em cinco jogos faturou apenas dois pontos frutos de dois empates, ocupa a quinta e última colocação do grupo B, enquanto que “As Periquitas” do clube da Estrada do Arraial aparecem na segunda colocação com nove pontos frutos de três vitórias em cinco partidas disputadas, seis pontos a menos que o líder Sport. O Jaguar vem de um empate no domingo passado contra o CODIF, enquanto que o América foi derrotado no Estádio Ademir Cunha em Paulista, pela equipe rubro negra da Ilha do Retiro, que acabou se isolando na liderança, portanto, a vitória seria de suma importância para o quadro esmeraldino.

Cabines de imprensa Geraldo Melo | Foto: Bruno Barros

Com um bom público de cerca de quarenta torcedores (apenas um do América!) a partida Jaguar x América foi iniciada no majestoso estádio jaboatonense e o que se viu durante o primeiro tempo foi o América tendo uma melhor posse de bola e um visível controle das ações, muito em virtude de ter percebido certa fragilidade no lado esquerdo da defensiva jaguarina, fazendo com que quase todas as boas jogadas de ataque, saíssem por aquele setor do gramado.



Vista do gramado sentido leste

Antes da metade do primeiro tempo as atletas Bea e Rayssa Nerys anotavam dois gols em favor time visitante, para a frustração da torcida do Jaguar, que já começava a olhar torto para o único torcedor do América presente no lado contrário das arquibancadas do Estádio JF. Depois dos dois gols iniciais, o América caiu um pouco de rendimento e começou a errar passes com certa frequência, o que fez com que a equipe do Jaguar se lançasse para cima buscando reverter aquele resultado extremamente negativo de então, porém, o último chute sempre parava nas mãos da goleira do “Mequinha” de Casa Amarela.


Visão mais ampla do estádio | Foto: Bruno Barros
As orientações dadas pelo treinador alviverde fizeram com que as meninas do Mequinha voltassem mais atentas à partida e mais uma vez, usando na maior parte das oportunidades, o lado direito de seu setor de ataque, visto que a fragilidade mostrada pelo adversário nesta localidade, não pôde ser corrigida no intervalo. As garotas do América “voaram” em campo no segundo tempo e anotaram mais quatro gols, sendo mais dois de Bea, mais um de Rayssa Nerys e um de Marcela, fechando o score da partida em 6x0 para o América do Recife, em uma tarde brilhante para a equipe centenária, em meio a gritos de “Uh-vai morrer! U-vai morrer!” pronunciados por membros da torcida do Jaguar em direção ao único torcedor americano presente ao estádio, vulgarmente chamado por mim de “eu”. Sem problemas, Jaboatão com Jaboatão, no final fica tudo “de boa”.
Vista do gramado sentido norte | Foto: Bruno Barros
Durante o segundo tempo foi nítida as reclamações acintosas do treinador do Jaguar a respeito da qualidade do trio de árbitros que prestaram seus serviços, o que levou inclusive a uma áspera discussão ao final do prélio. Interessante que quando já presente no gramado para a foto do “pôster”, uma atleta do Jaguar veio me questionar sobre minha saúde mental, gerando uma resposta sutil que a deixou sem argumentos e capaz apenas de entoar a seguinte frase: “Vai embora, carniça, vai procurar teu time!” e foi justamente isto que fiz, fui atrás de “o time”. Grande vitória do América em terras jaboatonenses no mesmo estádio de glórias passadas na década de 1980 e “As Periquitas” seguem firmes e fortes rumo à classificação para a segunda fase do campeonato.

                                                                                                                                                          Foto: Bruno Barros.

sábado, 19 de abril de 2014

América enfrenta Jaguar no estadual feminino


E neste domingo o América volta a campo pela sétima rodada do Campeonato Pernambucano Feminino, desta vez, jogando longe de seus domínios, às 16 horas, no Estádio Jefferson de Freitas, em Jaboatão dos Guararapes.

Vindo de derrota para o Sport dentro de casa, as meninas da Estrada do Arraial necessitam de apenas um empate para garantir a classificação para segunda fase da competição. E o adversário desta vez será a equipe do Jaguar, lanterna do grupo com dois pontos somados. 

Na segunda rodada, o time liderado pelo técnico Fábio França goleou o time de Jaboatão, pelo incrível placar de 10x0, que até o momento é o segundo placar mais elástico do certame, perdendo apenas para a vitória do Acadêmica Vitória sobre o Íbis, vencida por 12x0 em Camaragibe.

Para esta partida, a Federação Pernambucana de Futebol escalou Ana Karina, arbitra com chancela da FIFA. Ao seu lado, estarão os assistentes Fernando Antônio e Fabrício Leite. O quarto árbitro será Anderson Freitas.

Abaixo, a classificação geral do Grupo B:


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Juniores faz sua estréia em casa, contra o Vera Cruz



Neste sábado, o time de juniores do América entra em campo novamente com o intuito de buscar sua primeira vitória no Campeonato Pernambucano SUB-20. Na primeira rodada ocorrido no dia do centenário do clube, conseguiu sair do Carneirão com um empate em 1x1 contra o Vitória. Desta vez, o time da Estrada do Arraial enfrentará outro clube vitoriense, o Vera Cruz, desta vez, jogando no Estádio Ademir Cunha, às 15 horas.

Para esta rodada, o técnico Valter Mendes deverá ter a disposição o zagueiro Marcio. O zagueiro esmeraldino volta a defender a equipe SUB-20 e, com 19 anos, já possui no currículo um acesso na Série A2 e uma participação no Campeonato Pernambucano, jogando ao todo 14 jogos na divisão de elite. Autor do primeiro gol do América, Caio Vitor estará a disposição de Valter para este confronto.

A partida contará com Wildstar Dias de Mendonça como árbitro, sendo seus auxiliares Karla Renata Cavalcanti de Santana e Rafael Rodolfo de Souza Correia. O quarto árbitro será Ronaldo Deyvson Gomes de Lima.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O Desafio Continua!!!



Passada a festa a vida do América prossegue, as atividades estão ocorrendo no departamento de futebol, com os preparativos do SUB-20, os acertos do SUB-17 e com o futebol feminino. Por outro lado, continuamos jogando no Society e algumas surpresas devem acontecer.

O América continua vivo e ativo!!

Em conversas com Celso Muniz, Josué e Osmundo percebemos que está havendo a estruturação do Departamento de Futebol ( dirigido pela AFC/SA) onde a comissão técnica foi valorizada e autorizada a prosseguir o trabalho de montagem de uma base e prospecção para formação de um time forte visando conquistas mais sólidas.


Como o futebol está entregue a AFC/SA, o Presidente, voltou suas atenções para outro ponto importante para o programa de fortalecimento do América que é a campanha Sócio Centenário.


A campanha foi lançada no sábado passado, na festa, e já vem ganhando as ruas da cidade, pode ser vista em vários out-doors no Recife. O sucesso desta campanha vai ser de vital importância para o América, já que vai oxigenar o clube e dar condições econômicas para o sustento do clube.


O Blog do Mequinha é acessado por inúmeros amigos, a nossa comunidade do Face comemorou 1000 visitas ou seja existe americano demais e poucos ajudando!!! Com mil sócios em dias teríamos um time mais forte!!!

A ideia é bem simples: ajudar o América !!!

Todos podem ajudar basta preencher um formulário, se comprometer a pagar uma mensalidade no valor de R$ 30,00 ( 1 real por dia), pronto!!! vai ganhar alguma coisa? sim !! no primeiro momento vamos ajudar o clube, vai concorres a kits do América, vai poder entrar de graça nos jogos, vai ter seu nome inscrito no livro de sócios do América FC!! mais na frente vai ter direito a uma série de descontos em lojas parceiras  do clube!!

O desafio é este; " Seja mais um, seja forte, seja América !!"

Quem quiser se associar manda um e-mail para:

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 2x0 Ypiranga (BA) em março de 1946

Jornal recifense Folha da Manhã do dia 24 de março
de 1946 destacando o jogo América x Ypiranga (BA)
O ano de 1946 ficou marcado na história devido ao nascimento de pessoas como a atriz britânica Jane Asher (atriz de filmes como “Ato Final” de 1970 e “O Martírio do Silêncio” de 1952), o ex-jogador argentino Hector Yazalde (campeão argentino pelo Independiente em 1967 e 1970 e campeão português pelo Sporting Lisboa em 1973/1974), o cantor José Rico da dupla sertaneja Milionário & José Rico (autores da música “Estrada da Vida” de 1978) e o guitarrista britânico Syd Barret (um dos fundadores da banda de rock Pink Floyd). Faleciam o poeta e compositor Catulo da Paixão Cearense (autor da música “Luar do Sertão” de 1914 e que ficou famosa na voz de Luiz Gonzaga), o então presidente da Bolívia Gualberto Villaroel Lopez (major que assumiu após um golpe militar) e o boxeador norte-americano Jack Johnson (primeiro negro campeão mundial dos pesos pesados em 1908). Na música, os sucessos ficavam por conta de “Baião” do conjunto Quatro Ases e Um Coringa, “Mensagem” de Isaura Garcia, “Minha Terra” de Francisco Alves, “Porta Aberta” de Vicente Celestino e “Meu Ranchinho” de Augusto Calheiros. Era o centenário da descoberta do planeta Netuno, do nascimento da Princesa Isabel e da criação do parlamentarismo no Brasil, o que no papel tinha a finalidade de regular o poder moderador de Dom Pedro I, o que não aconteceu de fato, pois seu representante era indicado pelo próprio imperador.

Jorge Amado e João Cabral de Melo Neto: eternos poetas e torcedores
ilustres do Ypiranga da Bahia e do América do Recife
Em 24 de março de 1946, o Estádio dos Aflitos seria palco de mais uma grande partida de futebol válida por um amistoso interestadual. Há dois meses do início do campeonato pernambucano, o América recifense marcou um amistoso contra os aurinegros do Ypiranga de Salvador (Bahia), numa tentativa de fortalecer a preparação para o certame estadual, no qual iria em busca de mais um título dois anos depois da sua última conquista. O Alviverde da Estrada do Arraial vinha em boa fase, após o título de campeão pernambucano de 1944 e do vice-campeonato de 1945 e uma boa preparação era fundamental para lucrar mais um título. Por outro lado, o Esporte Clube Ypiranga, que já colecionava nove títulos de campeão baiano sendo o último em 1939, havia sido o 5° colocado entre seis disputantes no “Baianão-45” e estava usando a excursão a Pernambuco (já haviam perdido para Sport e Santa Cruz) para melhorar a equipe que buscaria o décimo título estadual na Bahia. América (PE) x Ypiranga (BA) poderia inclusive receber a alcunha de “Clássico dos Poetas”, uma vez que colocava em lados opostos o poeta baiano Jorge Amado (fanático pelo Ypiranga) e o poeta pernambucano João Cabral de Melo Neto (fervoroso pelo América).


Capuco e Pedrinho: defensores do América nos anos 40
O público chegou mais cedo para acompanhar a preliminar que haveria entre as equipes amadoras do Atlântico e do Fábrica Iolanda sob a arbitragem do Sr. Albino Machado, que começou duas horas antes. Por meio de convite da diretoria do América, o Sr. Antônio Carlos Godinho (dirigente do Ypiranga) foi indicado para ser o árbitro do embate entre pernambucanos e baianos. O início da partida pôs frente a frente duas equipes em fase de preparação para as suas respectivas competições estaduais e muito em função disto, o primeiro tempo de jogo não rendeu ao torcedor presente ao Estádio dos Aflitos, as grandes jogadas que eram esperadas dos times em campo. O jogo era morno e as duas equipes estavam iguais inclusive nos erros de passes, todavia, o América por conhecer melhor o gramado e ter o apoio da torcida, realizou perto do final do primeiro tempo algumas tentativas de gol, mas que pararam na boa exibição do goleiro Bomfim do time baiano.


Ilustração de América do Recife x Ypiranga de Salvador em jogo amistoso
realizado no Estádio dos Aflitos em Recife em 1946
Antes do início do segundo tempo as duas equipes resolveram fazer algumas alterações. No América do Recife, o atacante Edgar foi recuado para o meio campo no lugar de Capuco e seu lugar no ataque foi ocupado por Zezinho, que apenas trocou de posição e abriu espaço para a entrada do atacante Janjoca no time titular. Em compensação, pelo lado do time de Salvador, Raimundo entrou no lugar de Catita no meio campo e no ataque Lisálvaro saiu e Cacuá foi deslocado para a sua posição, abrindo espaço para a entrada de Joãozinho. O grito de gol da torcida verde e branca recifense saiu quando aos 28 minutos da etapa final, Djalma serviu com maestria para Zezinho, que de pé esquerdo chutou no canto indefensável do goleiro do Ypiranga. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 YPIRANGA (BA) e a torcida americana sacudia as arquibancadas do estádio do Náutico.

Folha da Manhã de 26/03/1946 escrachando a
desenvoltura dos times em campo na parte superior
Apenas dois minutos mais tarde, o América atacou novamente, mas o lançamento não encontrou nenhum jogador alviverde, em condições físicas de ficar com a bola que ia saindo calmamente pela linha de fundo até que o goleiro Bomfim do Ypiranga (BA) resolveu ir atrás dela para rebater. O que ninguém esperava era que nessa rebatida o goleiro do time aurinegro baiano viesse a escorregar e entregar a bola de bandeja para Janjoca que com o gol escancarado anotou o segundo gol dos pernambucanos. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X0 YPIRANGA (BA) e a torcida esmeraldina festejava aquele resultado parcial de vitória, que se estendeu até o final da partida. Mesmo havendo a arbitragem de um dirigente do Ypiranga, este levou o jogo todo com elogiável imparcialidade em todos os lances que mereceram ser apontados. O jogo preliminar entre Atlântico e Fábrica Iolanda terminou com um empate em 2x2 e de acordo com a imprensa escrita, foi um jogo mais movimentado do que a partida principal, sendo assim, a renda da rodada dupla nos Aflitos foi de um pouco mais do que doze mil cruzeiros e as equipes de América 2x0 Ypiranga da Bahia naquele dia 24 de março de 1946 foram as seguintes:




AMÉRICA:

Leça;
Deusdedith e Lucas;
Barbosa, Capuco e Galego;
Zezinho, Julinho, Djalma, Edgar e Valdeque.

YPIRANGA DA BAHIA:
Bomfim;
Hélio e Gregório;
Catita, Lourenço e Joel;
Cacuá, Jaime, Caçaçau, Lisálvaro e Elias.