quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Hoje tem Basquete!! Hoje tem Tútulo!!

Teremos na noite de hoje, no ginásio do SESC em Santo Amaro, mais uma partida do Campeonato Pernambucano de Basquete Feminino. 
Vai ser o confronto entre o UNINASSAU/AMÉRICA contra o  MEQUINHA/SUB 19, time @ do América. Acontecendo a vitória do time principal, o América torna-se campeão por antecipação, já que está invicto na competição e com bom saldo de cestas !!
Na prática o Campeonato serviu como preparatório para Liga de Basquete Feminino ( LBF) que vai se  iniciar neste domingo, quando o América vai receber o time do São José (SP).
Antes do jogo vai ocorrer a cerimônia de premiação do título do Campeonato Pernambucano Sub 19, que foi ganho pelas meninas do América.



F21

sábado, 22 de novembro de 2014

Blog do Mequinha, melhor blog esportivo de 2014

Na noite de ontem, 20 de novembro, ocorreu a 4ª edição do troféu Destaques da Crônica Esportiva de Pernambuco 2014 promovida pelo Blog do Washington Ramos. O evento reuniu grandes nomes da imprensa pernambucana homenageando grandes nomes do jornalismo esportivo pernambucano.
O Blog do Mequinha recebeu o prêmio como melhor blog esportivo de 2014!!!
O Blog surgiu em 2007 sendo criado por Allan Lemos com a finalidade de colocar o nome América na mídia, agora nas ondas da internet. No início capengado, com poucas informações...até porque o clube estava fechado!!!Com o tempo fomos recuperando histórias, cascavilhando notícias, procurando um espaço que pudesse ser ocupado.tivemos um grupo bom no Orkut, estamos nos expandindo no Facebook.
Blog do Mequinha na lendária sede da Estrada do Arraial ( foto do Diário de Pernambuco)

A trajetória do Blog é o registro da história do clube de 2007 até hoje, no início sem muitas informações, hoje com planos de lançar um livro, Memórias Esmeraldinas !
A internet criou um laço de amizade entre pessoas bem diferentes e que se uniram em torno do clube alviverde, aos poucos fomos nos juntando a Allan : Washington Luiz Vaz, Bruno Lima, Jefferson Maciel, Tércio Trindade e Bruno Barros.
Tirar leite de pedra, este é o desafio do Blog do Mequinha!!
Devo ressaltar a participação de outros amigos, como, Elói, Sal, Jairo da Buzina, Sandro Sérgio,Carla  e Carol!!Tem Marcão, tem João Neves, tem até um bode!
Na festa de premiação, Destaques da Crônica Esportiva:Tércio Trindade ( Blog do Mequinha), Pedro Luís ( Papo de Craque) e Washington Ramos ( idealizador da premiação, Blogueiro e repórter esportivo).
Tive o prazer de receber o troféu que foi o reconhecimento de um trabalho coletivo, no meio de jornalistas de renomes, como Lenivaldo Aragão, André Luís Cabral, Pedro Luís, Amaral Dutra, Marco Moura e Luciano Jacinto.
O Blog do Mequinha agradece ao repórter Washington Ramos a indicação e premiação, no ano do Centenário do América o Blog do Mequinha faz a festa!!

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Por estas e por outras...Alemanha 7, Brasil 1

Infelizmente fomos surpreendidos com uma notícia que surgiu na internet: Não vai haver Copa do Nordeste Sub 20!!! Fomos averiguar, procurar detalhes, ir atrás de uma resposta esperando que tudo isto fosse apenas boatos!!
A competição foi criada com o objetivo de promover o desenvolvimento do futebol da região, servindo como vitrine para jovens atletas de equipes nordestinas. 20 clubes foram convidados para participar, 4 cidades foram selecionadas para sediar a competição, o regulamento e tabela de jogos divulgados!
Ofício da CBF cancelando a Copa do Nordeste Sub 20
A proposta de realização desta Copa surgiu ainda no primeiro semestre deste ano, idealizada pela Federação Pernambucana de Futebol, criou uma expectativa grande em atletas, dirigentes, torcedores e da mídia esportiva em geral. Foi sempre empurrada para datas futuras, foi lançada em outubro e negada em novembro, três dias antes do início da competição.
O motivo alegado foi a falta de patrocinadores, pouco interesses de alguns clubes e da própria CBF.
 Tudo foi feito pensando no patrocínio do Programa Todos Com a Nota!! Será que não tinham outros patrocinadores, vamos viver sempre do Todos com a Nota?
Muito pouco!! Deixo aqui um lembrete: O TCN de Pernambuco não é a salvação dos clubes do Nordeste.
Aproveito este espaço para me colocar a disposição da Federação Pernambucana de Futebol, deixo até minha dica: A primeira competição poderia ter menos clubes, os jogos poderiam acontecer só no Recife, com apoio da Prefeitura da Cidade, do Governo do Estado, com a ajuda dos  patrocinadores da CBF....são muitos!! A primeira competição criaria expectativas para as próximas!!
A Federação Pernambucana de Futebol garante que esta competição vai ser disputada em outra oportunidade!!
Vou parar por aqui!! Alguém vai dar ânimo aos atletas que vinha trabalhando com o Professor Cleibson? Dizer o quê do dinheiro gasto na preparação?
A CBF prometeu desenvolver o futebol de base e a criação de centros de esportes, parecido com o que existem na Alemanha!!! e aí?
ALEMANHA 7 X 1 BRASIL

terça-feira, 18 de novembro de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 1x0 CSA de Alagoas em dezembro de 1972

Nasciam o ator britânico Jude Law (ator nos filmes “A Invenção de Hugo Cabret” de 2011 e “Terapia de Risco” de 2013), a atriz norte-americana Cameron Diaz (atriz nos filmes “A Caixa” de 2009 e “Encontro Explosivo” de 2010), o ex-jogador alemão Christian Ziege (campeão da Copa da UEFA de 2006 com o Bayern de Munique/ALE e campeão da Eurocopa de 1996 com a Seleção Alemã), o ex-jogador português Rui Costa (campeão português de 1994 com o Benfica e campeão da Liga dos Campeões da UEFA de 2003 com o Milan/ITA) e o músico inglês Alex Kapranos (guitarrista da banda de rock Franz Ferdinand). Faleciam o cineasta norte-americano Hal Walker (diretor de filmes como “De Tanga e Sarongue” de 1952 e “O Filhinho do Papai” de 1951) e a física norte-americana Maria Goeppert-Mayer (vencedora do prêmio Nobel de Física em 1963). Alguns sucessos musicais foram “Bala com Bala” com Elis Regina, “Boêmio 72” com Nélson Gonçalves, “Casa e Comida” com Núbia Lafayette e “Nos Teus Braços” com Reginaldo Rossi.

O América em 1972 disputou o Campeonato Brasileiro da Série B e desempenhou um grande papel em sua primeira fase. O clube estava no grupo C e colheu resultados bastante expressivos, como a vitória em cima do CSA de Alagoas em 23 de setembro, a vitória em cima do Alecrim em Natal/RN no dia 10 de outubro, a vitória contra o Ferroviário do Recife no dia 21 e a vitória contra o Botafogo da Paraíba no dia 11 de novembro, sucessos estes, que fizeram o América terminar a primeira fase dividindo a liderança do grupo, com os mesmos dez pontos do Centro Sportivo Alagoano, entretanto, o clube azulino de Maceió tinha um melhor saldo de gols. O mais importante era que o clube esmeraldino, estava classificado para a disputa da segunda fase de um torneio nacional, fato que entusiasmou o torcedor mais apaixonado e o fez sonhar com conquistas ainda maiores. Na segunda fase, o América do Recife teria pela frente novamente o CSA de Maceió, além de ter como os outros adversários no quadrangular, o América de Natal e o Campinense da Paraíba. Infelizmente, o clube pernambucano não repetiu o mesmo desempenho de antes e perdeu os seus cinco primeiros jogos, o que fez com que a equipe chegasse a última rodada sem qualquer chance de classificação para a final. Esta última partida do América no ano de 1972, ocorreu no dia 13 de dezembro e teria como adversário o também já eliminado CSA de Maceió no Estádio dos Aflitos, sendo que, ambas as equipes chegaram a pedir a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o cancelamento do jogo, visando redução de custos, pedido este que não foi aceito pela respectiva entidade.

Naquela noite de quarta-feira no Estádio Eládio de Barros Carvalho nos Aflitos, o público que compareceu à partida foi muito pequeno, muito isso em virtude do fato de que poucas horas antes, não havia ainda a confirmação oficial de sua realização, além da eliminação prematura das duas agremiações. O desinteresse pela partia foi tão grande, que nem o juiz escalado para arbitrar o confronto apareceu. O Sr. Antônio Góis da Federação Sergipana de Futebol não compareceu ao Estádio dos Aflitos, cabendo ao bandeira Clayton Beltrão a  função de apitar a peleja, missão esta que aceitou sem delongas, porém, a partida só poderia ser iniciada com mais um bandeira em campo e como naquela época não existia a figura do árbitro reserva, o bandeira Hélio Ferreira chamou o radialista José Bezerra da Rádio Olinda 1030 AM, que após a permissão da chefia, desceu para a lateral do gramado para executar a tarefa que lhe foi entregue.

Ilustração de América x CSA de Alagoas pelo Campeonato Brasileiro de 1972
no Estádio dos Aflitos
Aos 2 minutos do primeiro tempo aconteceu a primeira boa chance de gol para o time americano e esta foi armada pelo meio do meio-campista Jaílson, que avançou em velocidade pelo meio da defesa alagoana e cedeu a bola para o atacante Sérgio e este após de livrar da marcação de Teco, chutou para uma grande defesa do goleiro Zé Luis. O jogo começou morno e aos 10 minutos, o atacante Otávio cruzou a bola pela esquerda nos pés do atleta Manuelzinho, que passou por Djair e bateu por cima da meta, assustando a pequeníssima torcida que se acomodava nos Aflitos. O Centro Sportivo Alagoano teve uma nova chance de abrir o marcador, quando aos 25 minutos o lateral Jaminho correu pelo lado esquerdo e cruzou bola rasteira nos pés de Beto, que bateu colocado no canto direito, forçando o arqueiro Paulo do América a executar uma grande defesa. Apesar de desclassificado, a vitória faria o América encerrar o campeonato com mais honra e nesta intenção foi que o atacante Sérgio aos 33 minutos bateu falta e a bola encontrou o atacante Everaldo, que bateu forte, todavia, longe do gol defendido por Zé Luis. Os alagoanos, aos 37 minutos, avançaram para o ataque como o atleta Teco correndo pelo lado direito até fazer um belo cruzamento para a entrada da grande área, local onde estava o atacante Giraldo, que se livrou de Ivan e bateu rasteiro, raspando a trava do goleiro Paulo. Aos 42 minutos foi a vez do América atacar e fez isto por intermédio do meia Duca, que entregou a bola na pequena área para o atleta Pedrinho e este desperdiçou uma grande oportunidade e desta forma, o primeiro tempo encerrou-se sem alterações no placar.


Nota do Diário de Pernambuco de 14 de dezembro de 1972. Para a mídia
era mais importante enaltecer vitória do outros do que do América. Use uma
lupa e veja no 2º parágrafo "América vence CSA".
Para o segundo tempo, o CSA de Alagoas voltou com Jairo no ataque no lugar de Beto e logo aos 5 minutos ele deu um grande passe de bola para o meia Batoré, que de primeira, bateu com força, contudo, por cima do travessão do goleiro Paulo. O clube da Estrada do Arraial apareceu apenas aos 12 minutos, momento em que, o jogador Pedrinho recebeu um ótimo passe de bola do lateral Duquinha, mas, o guarda-meta Zé Luis do CSA agigantou-se em sua frente e impediu a marcação do gol pernambucano. Seis minutos mais tarde o defensor Ivan do América falhou e Robledo de cara com o goleiro americano bateu em cima dele e Djair apareceu para afastar o perigo, fazendo o arqueiro Paulo cobrar mais atenção do setor defensivo. Aos 30 minutos, Duquinha entregou a bola para o atacante Geraldo, que correu livrando-se dos marcadores Gilvan e Bibiu e tocou forte e rasteiro no canto de Zé Luis para abrir o marcador nos Aflitos. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 CSA/AL. O Centro Sportivo Alagoano tentou o empate cinco minutos depois na jogada bem trabalhada do jogador Batoré, que se desvencilhou da marcação de Djair e bateu por cima da meta, sem muito perigo ao gol esmeraldino. 

O Periquito do bairro de Casa Amarela quase chegou ao segundo gol, quando o atleta Jaílson serviu Everaldo aos 43 minutos, mas na hora do arremate final, já quase na pequena área, o jogador Gilvan chutou para longe, impedindo a marcação do tento. Após o apito final do árbitro Clayton Beltrão e ao belo trabalho desempenhado pelo jornalista José Bezerra como bandeirinha, o América comemorou mais uma grande vitória, apesar do público de apenas 29 pagantes e uma renda de apenas 145 cruzeiros. No outro jogo do grupo, o Campinense derrotou o América de Natal em Campina Grande e se garantiu na decisão contra o Sampaio Corrêa do Maranhão, que tornou-se campeão após bater nos pênaltis o rubro-negro paraibano.

AMÉRICA
Paulo; 
Assis, Ivan, Djair e Duquinha; 
Duca e Jaílson; 
Everaldo, Geraldo, Pedrinho e Sérgio.

CSA DE MACEIÓ
Zé Luis; 
Teco, Bibiu, Gilvan e Jaminho; 
Robledo e Batoré; 
Manuelzinho, Giraldo, Otávio e Beto. 

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Final se semana de resultados positivos

Lance de jogo entre América x CT Waldomiro Silva, pelo Estadual SUB-17 | Foto: Marcia Wanderley

Faltando exatos vinte dias para a estreia do América no Campeonato Pernambucano de Futebol, engana-se quem acha que o glorioso alviverde da Estrada do Arraial encontra-se inerte no tempo, apenas treinando para o inicio da edição do certame que completará 100 anos da Federação Pernambucana de Futebol. Dentro do Campeão do Centenário pulsa esportividade, com categorias de base, handebol, society e basquete feminino em plena atividade.

Na ultima quinta-feira, a bola rolou no Estádio Ademir Cunha, com a equipe SUB-20 contando os dias na estréia da primeira edição da Copa do Nordeste de Juniores, que terá como sede o estado de Pernambuco, nos municipios do Recife, Caruaru, Salgueiro e Moreno. Aprontando o time para enfrentar o Náutico, nos Aflitos, o técnico Cleibson Ferreira colocou seu time em campo para enfrentar a Seleção do Ipojuca. O resultado foi uma goleada de 4x1, onde mais do que o resultado, serviu para dar entrosamento e corrigir defeitos pontuais de posicionamento e postura tática.

Na sexta feira, foi a vez do basquete feminino que vem utilizando o Campeonato Pernambucano Adulto com preparatório para Liga de Basquete Feminino, que inicia já no proximo dia 30, no SESC Santo Amaro, com a UNINASSAU/América enfrentando o São José-SP. Com duas equipes no campeonato estadual, a equipe campeã SUB-19 venceu o Central por 84x13. Já no Sábado, foi a vez da equipe principal liderada pelo técnico Roberto Dornelas enfrentar a Patativa do Agreste e fechar a visita a Capital do Forró com outra vitória tranquila perante as mandantes, no placar de 108x28, com  Adrianinha, Érika, Tiffany, Young, Taty e Taina Paixão desfilando talento para os Caruaruenses.

Confraternização das atletas da UNINASSAU/América, em Caruaru | Foto: FPB-PE


Sabado também teve bola rolando. Novamente do Cunhão a categoria de base esmeraldina entrou no gramado surrado de Paulista, desta vez na estreia do Campeonato Pernambucano SUB-15 e SUB-17. Os resultados foi o empate em 1x1 pela equipe infantil comandada pelo técnico Mario Filho e uma vitória por 1x0 para a equipe juvenil, que é liderada por Denô Araújo. Ambos os resultados foram diante do CT Waldomiro Silva (Santa Cruz B), pelo Grupo 22, na segunda fase do estadual.

E fechando o sábado esportivo, o Handebol do América segue invicto no Campeonato Pernambucano. Até aqui, foram três vitórias diante da UFRPE, Atletico e Pernambuco. Sempre com entrada franca, os jogos vem sendo realizados no Clube Português. O time do América que meses atrás conquistou a expressiva terceira melhor campanha no campeonato brasileiro, vem fazendo bonito também no estadual, sob as orientações do técnico Romulo Lins.

Lance de jogo entre América x CT Waldomiro Silva, pelo Estadual SUB-15  | Foto: Marcia Wanderley

domingo, 16 de novembro de 2014

Novo campo de jogo

Tarde de futebol no Ademir Cunha
Nos últimos anos Paulista se tornou a "casa" do América, grandes partidas foram disputadas no estádio Ademir Cunha, quem não lembra daquele América 4 x 2 Náutico, com grande atuação de Branquinho e de Silvano, o Vin Diesel do América!! Jogos contra o Salgueiro, Central, Santa Cruz, Sport.....

O Ademir Cunha reabriu para o futebol graças ao América, num trabalho conjunto de Zaidan, de João Antônio, Sérgio Serpa e da Prefeitura de Paulista.Esta união de esforços foi fundamental para a recuperação daquela praça de esportes, que ofereceu para o moradores de Paulista uma opção de lazer!!

A integração entre o América e os moradores de Paulista foi automática!!!

O estádio continua lá!! saiu em Edvaldo Morais ( Rádio Folha), Wellington Araújo ( Rádio Jornal) postou.... falam que a Prefeitura tem interesse em demolir o estádio!!Vão construir uma Igreja??
Bem, o América realizou algumas intervenções no estádio ( reformas), investiu na recuperação dos vestiários, do campo e de áreas internas. Procurou ser parceiro da Prefeitura, outros "times" que treinam ou jogam lá, nunca fizeram nada.

Infelizmente o Ademir Cunha não tem condições de ser aprovado para realização de jogos do Campeonato Pernambucano de Futebol, neste caso o América teve que correr atrás de outras praças de esportes, Goiana, Ipojuca,Vitória, .....velho problema.
Torcida Americana em tarde de futebol nos Aflitos!!
A solução encontrada foi a melhor, o América vai realizar 8 jogos no estádio Eládio de Barros Carvalho, o estádio dos Aflitos, de propriedade do Clube Náutico Capibaribe.

De acordo com Osmundo Bezerra o acerto com o Náutico foi necessário já que oferece a torcida uma oportunidade de ficar perto do time, o estádio é confortável e de fácil acesso. Esta parceria tem preço fixo ( o América vai pagar por partida disputada) e tempo limitado, já que o Náutico tem planos para o estádio.

Ele lembra que o América não desistiu de Paulista, nem do Ademir Cunha, o time continuará treinando lá e disputando partidas de campeonatos inferiores ( sub 15 e sub 17).

O clube vai realizar uma pequena intervenção no gramado ( adubação e corte da grama) para deixa-lo em condições de uso. Vai tentar promover ações junto a Prefeitura para resolver este impasse e garantir a união entre o Povo de Paulista e o América.


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Trabalhando Firme!!

Faltam poucas semanas para estreia da equipe alviverde no Campeonato Pernambucano de Futebol, versão 2015. Como todos sabem a equipe do América já vem trabalhando desde o final de outubro, o grupo passou por um período de avaliação na cidade de Chã Grande onde o treinador Maurílio Silva pode observar o grupo que está a sua disposição.

O Blog do Mequinha foi conversar com Osmundo Bezerra, o vice-presidente de Futebol, o responsável pela montagem do projeto de 2015. A conversa foi longa é proveitosa, Osmundo falou sobre questões importantes, para facilitar o entendimento vou dividir em tópicos e apresentar ao longo da semana.

Maurilío, Josué e Osmundo, na sede do América
A primeira questão abordada com o o nosso diretor diz respeito as expectativas e objetivos para campanha do campeonato que se aproxima. Antes de mais nada lembro que Osmundo milita no futebol, participando da estrutura diretiva desde 2010, primeiro no Santa Cruz e depois no América.
Em relação ao América tem como pontos positivos o acesso a série A em 2013,a permanência na série A 2014 e as boas colocações no Campeonato Sub 20.

As expectativas do dirigente são boas, ele lembra que em 2014 o time foi montado em pouco tempo, com poucos recursos, já a equipe de 2015 iniciou seu trabalho com relativa antecipação. O treinador contratado chega querendo bons resultados, o elenco dispõe de jogadores que atuam juntos a um bom tempo, isto facilita o trabalho e aos poucos está sendo reforçado. Estão confirmados os jogadores David ( zagueiro), Felipe Almeida ( lateral direito), Jaime ( lateral esquerdo), Gil Baiano ( goleiro) e Kássio. Alguns nomes estão sendo contactados e em processo de negociação.A ideia é mesclar jogadores experientes com os jovens da base do Periquito.
O objetivo maior do clube é conquistar uma vaga para disputar o Campeonato Brasileiro da Série D 2015.

Osmundo enfatiza que o investimento feito contempla melhorias na infra-estrutura do América, objetivando oferecer ao elenco um tratamento digno, o time continua utilizando o estádio Ademir Cunha como centro de treinamento, bem como o Estadio Eugênio Araújo, o Olindão. Por motivos de força maior o América mandará os seus jogos no Recife, no estádio Eládio de Barros Carvalho, o estádio dos Aflitos.Neste caso,Osmundo fez questão de agradecer ao Náutico pelo apoio, já que houve um entendimento sobre o  preço do aluguel do estádio.

A luta vai ser árdua, o trabalho constante já que parte do grupo irá disputar a Copa do Nordeste Sub 20 e o próprio Pernambucano.





quinta-feira, 13 de novembro de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 3x2 Portela em setembro de 1945

Nasciam o político Daniel Ortega (atual presidente da Nicarágua), o músico britânico Chris Dreja (baixista da banda de rock The New Yardbirds), o ator norte-americano Micky Dolenz (ator no filme “Os Monkees Estão Soltos” de 1968), o treinador alemão Jupp Heynckes (campeão da Liga dos Campeões da Europa com o Real Madrid/ESP em 1998 e com o Bayern de Munique/ALE em 2013) e a cantora escocesa Maggie Bell (antiga integrante da banda de rock The Power). Faleciam o ator neozelandês Shayle Gardner (ator em filmes como “Condenação do Destino” de 1926 e “Disraeli” de 1929) e o golfista norte-americano Charles Sands (medalha de ouro nas Olimpíadas de Paris em 1900). Alguns sucessos musicais foram “Na Feira do Cais Dourado” com Elvira Pagã, “Morena Faceira” com Os Namorados da Lua e “Meu Coração Te Fala” com Albertinho Fortuna.

Jornal do Commercio de 13 de setembro de 1945.
O campeonato pernambucano de 1945 teve prosseguimento no dia 13 de setembro com a esperada partida entre América do Recife e Portela de Jaboatão no Estádio dos Aflitos. Os americanos fizeram uma elogiável fase eliminatória, ficando atrás apenas do Sport e na fase final já haviam feito duas partidas, uma que terminou com derrota para o Sport e outra com vitória em cima do Santa Cruz, ambas com resultado de 3x1 favorável ao vencedor e a expectativa era de mais uma vitória para se aproximar da liderança do certame. Por sua vez, os alviazulinos da fábrica de papel de Jaboatão fizeram uma fase eliminatória ruim, à frente apenas do eliminado Flamengo do Recife e empatado em número de pontos com o Great Western, sendo, portanto, necessária a realização de uma partida extra, na qual, o Portela venceu o Great Western por 3x0 e teve direito de prosseguir no campeonato. Os portelenses nesta fase final haviam caído diante do Náutico por 4x1, mas, conseguiram dois grandes resultados, que foram os empates com Sport e Santa Cruz, ambos pelo placar de 3x3, fato este, que motivava o torcedor a comparecer aos Aflitos naquela noite de quinta-feira para apreciar uma bela partida de futebol. Quem chegou mais cedo acompanhou a vitória do Náutico sobre o Portela por 6x1 na categoria segundos-quadros e ficou no aguardo para que às 21h começasse a partida esperada entre americanos e portelenses. Quando o árbitro da partida, o Sr. José Gaioso, subiu para o gramado e chamou as equipes para o início da peleja, percebeu aos olhos dele, que o tom de verde da camisa do América podia ser facilmente confundível com o tom de azul da camisa do Portela, que por sinal, tinham modelos iguais e, portanto, solicitou à equipe jaboatonense que trocasse de camisa já que era o visitante. Para a surpresa de todos, o Portela não veio com um segundo conjunto de camisas, o que atrasou o começo do jogo em meia hora. O impasse foi resolvido quando o Náutico cedeu suas camisas vermelhas para o Portela jogar e somente às 21h45 a partida foi iniciada.


Nota do Jornal do Commercio de 13 de setembro de 1945.
O público presente aos Aflitos viu uma partida muito equilibrada, com as duas equipes se doando ao máximo atrás da vitória e quem teve a primeira grande chance foi o Portela aos 7 minutos, quando o meia americano Rubens perdeu a bola no meio campo para o também meia Sabino dos azulinos (excepcionalmente, vermelhos naquela noite), que avançou em velocidade no meio da defesa esmeraldina e tocou para o atacante Bertô, que chutou por cima do travessão de Leça. A primeira boa chance dos campeões de 1944 surgiu aos 15 minutos, quando o atleta Galego recuperou a bola na zaga e tocou para o atacante Valdeque, que driblou o defensor Santiago antes de ceder a pelota para Oséas e este chutou para uma ótima defesa do goleiro Nico do Portela. Aos 21 minutos, o americano Edgar perdeu a bola para o portelense Neno, o que gerou um contrataque fulminante dos jaboatonenses, sendo então, a bola tocada para o atleta Alírio, que da entrada da grande área mandou o torpedo no canto esquerdo de Leça, que saltou na hora certa e impediu de forma heroica a marcação do gol adversário.

Ilustração de América x Portela no Estádio dos Aflitos pelo campeonato
Pernambucano de 1945.
Animados pela torcida que se fazia presente nas arquibancadas do Eládio de Barros Carvalho, o América avançou com perigo aos 29 minutos por meio do atacante Djalma, que já na linha fundo, fez ótimo cruzamento nos pés de Zezinho, que se livrou da marcação de Rubem e mandou a bola por cima do gol de Nico, passando a poucos centímetros do travessão. O gol era uma questão de tempo e aos 34 minutos, Pedrinho do América disparou pela lateral direita e cruzou para Zezinho, que num chute de primeira, tocou no canto esquerdo de Nico que nada pôde fazer. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 PORTELA. A comemoração esmeraldina foi breve, isto porque, sete minutos depois na última boa jogada do primeiro tempo, o atacante Dega bateu em cima do zagueiro Lucas do América e Milton pegou o rebote para deixar tudo igual nos Aflitos. AMÉRICA 1X1 PORTELA e fim de papo.

Jornal do Commercio de 14 de setembro de 1945.
No breu das dez e quarenta da noite começou segundo tempo e o comportamento dos times foi o mesmo da etapa inicial. O América atacou aos 5 minutos por intermédio do meia Rubens, que enxergou Valdeque correndo pela direita livre de marcação e lhe cedeu a bola, vindo a dominá-la e arremessá-la com força no canto alto de Nico, que defendeu com categoria. O Portela chegou perto de desempatar aos 17 minutos, quando o meia Vitor entregou a pelota para o atacante Dega, que driblou o zagueiro Galego e mandou forte muito próximo à trave esquerda de Leça. O clube de Jaboatão parecia decidido a vencer e aos 26 minutos num descuido da defesa do América, a bola sobrou para o atleta Djalma do Portela e cara a cara com Leça chutou forte e o goleiro americano desviou um chute à queima-roupa salvando o clube verde e branco. A preocupação esmeraldina se transformou em felicidade aos 30 minutos, quando Zezinho disparou em velocidade pelo canto direito e cruzou na medida para Oséas, com categoria, colocar os americanos em vantagem. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X1 PORTELA.

Nota do Jornal do Commercio de 14 de setembro de 1945.
O gol atordoou o adversário e apenas três minutos mais tarde, o América armou mais um fulminante ataque, porém, desta vez como o atleta Valdeque, que com um belo passe, colocou o atleta Djalma frente a frente com Nico e ele não desperdiçou. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 3X1 PORTELA. A torcida do verde e branco recifense comemorava freneticamente e muito criticou a marcação da falta do zagueiro Lucas em cima do portelense Bertô aos 40 minutos. Neno bateu a falta com perfeição e apesar do esforço de Leça, descontou para os azuis (momentaneamente vermelhos) de Jaboatão. AMÉRICA 3X2 PORTELA e sem maiores jogadas de gol terminou a partida com mais uma grande vitória do periquito. O público compareceu em número reduzido e gerou uma renda de aproximadamente 3.101 cruzeiros naquela quinta-feira noturna de futebol.


AMÉRICA
Leça; 
Lucas e Galego; 
Pedrinho, Capuco e Rubens; 
Zezinho, Valdeque, Djalma, Edgar e Oséas.


PORTELA
Nico; 
Santiago e Rubem; 
Vitor, Sabino e Neno; 
Milton, Dega, Alírio, Bertô e Djalma.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 2x1 Esporte Caruaru em julho de 1977

Nasceram a atriz norte-americana Danielle Harris (atriz em filmes como “Halloween – O Início” de 2007 e “Lenda Urbana” de 1998), o ator britânico Orlando Bloom (ator em filmes como “Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra” de 2003 e “O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos” de 2014), o jogador Jeovânio (campeão pernambucano com o Santa Cruz em 2011 e que defendeu o América/PE na Série A-2 de 2013), o jogador Gianluca Zambrotta (campeão da Copa de 2006 com a Seleção Italiana) e o jogador francês Mikael Silvestre (campeão mundial de clubes com o Manchester United/ING em 1999). Faleceram o ator britânico Peter Finch (ator em filmes como “No Caminho dos Elefantes” de 1954 e “Uma Cruz À Beira do Abismo” de 1959), a atriz Joan Crawford (atriz nos filmes “O Andarilho” de 1926 e “Grande Hotel” de 1932) e o cantor Elvis Presley (conhecido por musicas como “Love Me Tender” de 1956 e “Loving You” de 1957). Alguns sucessos musicais foram “Carro de Boi” com Milton Nascimento, “Baião de Dois” com Luiz Gonzaga, “Espelho Cristalino” com Alceu Valença e “Você Pode me Perder” com Paulo Sérgio.

Diário de Pernambuco de 6 de julho de 1977.
A sexta rodada do segundo turno do campeonato pernambucano de 1977 foi aberta numa quarta-feira, dia 6 de julho de 1977 com a partida entre América e Esporte Caruaru no Estádio Pedro Victor de Albuquerque (atual Luis Lacerda) em Caruaru, marcando o início dos jogos de volta do turno. Os alviverdes, que vinham de vitória em cima do mesmo Esporte Caruaru no Estádio dos Aflitos por 1x0 quatro dias antes, ocupavam a quinta e penúltima colocação com apenas dois pontos ganhos, enquanto que, os caruaruenses, que haviam amargado derrota para o América na rodada anterior, figuravam na última colocação com apenas um ponto ganho. O América, do treinador Leonildo Vilanova, na tarde de terça-feira realizou um treino envolvendo todos os atletas no Campo do União no bairro da Macaxeira e teria todos eles a sua disposição para o confronto do dia seguinte, enquanto que, no lado rubro-negro, do treinador Paulo Leal, a frustração seria a não possível escalação do meio-campista Diva, devido a fortes dores no tornozelo.


Nota do Diário de Pernambuco de 6 de julho de 1977.
Um pouco mais cedo, os aspirantes do América bateram os aspirantes do Esporte Caruaru por 3x1 sob a arbitragem de Ernande Carneiro, auxiliado por José Gomes da Silva e Achiles Sales nas laterais. Tendo Dirceu Arruda como árbitro e a dupla Ozéas Gomes e Luis Gonçalves como bandeirinhas, a bola rolou no tapete verde do Estádio Pedro Victor de Albuquerque às 21h e foram os visitantes que primeiro se lançaram ao ataque por intermédio do meia Mozart, que avançou em velocidade e tocou a bola para o atacante Valdir e este, após se livrar da marcação de Chaparral, mandou a pelota por cima das traves de Idalécio aos 2 minutos. O América começou melhor na partida e aos 12 minutos o lateral Neco cruzou a bola na grande área para o atleta Roberval, que a dominou e mandou um torpedo no canto para abrir o marcador em Caruaru. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 ESPORTE CARUARU.

O rubro-negro da capital do agreste resolveu acordar na partida e aos 23 minutos, o meia Firmino deu grande passe de bola para o atacante Admilton, que driblou o zagueiro Nilo e chutou colocado, porém, o goleiro alviverde Adeildo pulou com categoria no canto esquerdo e evitou o gol de empate do adversário. Marcos Costa do América aos 32 minutos ganhou a disputa de bola no meio campo para o meia João Luis do Esporte Caruaru e disparou até tocar o balão de couro para o atacante Roberval, que se livrou da marcação de Carlos e chutou para uma boa defesa do arqueiro Idalécio. Aos 39 minutos, o clube caruaruense teve uma ótima chance de empatar, quando o atleta Birino lançou a bola para o atacante Paulo e ele soltou a bomba por cima do gol de Adeildo, para alívio momentâneo dos esmeraldinos, isto por que, quatro minutos depois, o Esporte Caruaru teve nova chance de deixar tudo igual no placar, quando o lateral Fonseca cruzou bola vinda da direita nos pés de Vavá, que se desvencilhou da marcação de Alexandre e chutou no canto, para mais uma grande defesa do guarda-meta Adeildo do clube recifense.

Diário de Pernambuco de 7 de julho de 1977.
Para o segundo tempo, o América do Recife voltou com o atleta Amílton no posto do meio-campista Cordeiro, enquanto que, no clube de Caruaru se observou as entradas de Beto no lugar do atacante Paulo e de Hélio Lima no lugar do também atacante Admilton. As mudanças fizeram com que o Esporte Caruaru fosse para cima dos americanos aos 5 minutos com o jogador Firmino levantando a bola para o atleta Beto, que chutou firme vencendo o goleiro Adeildo, mas, Alexandre afastou o perigo. Os garotos da Estrada do Arraial aproveitaram os avanços do Esporte para jogar no contrataque e aos 11 minutos o meia Mozart disparou em velocidade no meio da defensiva caruaruense e tocou a bola para o companheiro Robertinho, que livre de marcação não teve dificuldades para ampliar a vantagem no placar. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X0 ESPORTE CARUARU e comemoração recifense no Pedro Victor de Albuquerque. O terceiro gol esmeraldino quase surgiu aos 22 minutos por meio da grande jogada do atleta Amílton, que ganhou na velocidade do rubro-negro Fonseca e tocou a bola para Valdir e este chutou por cima do gol de Idalécio. A torcida caruaruense recobrou as esperanças de um bom resultado aos 29 minutos, quando o atleta Nado do Esporte Caruaru entregou a pelota para o jogador João Luis, que disparou em direção a meta e vendo Vavá corendo pela esquerda em melhores condições de finalizar, lhe deu passe de bola e ele não desperdiçou. AMÉRICA 2X1 ESPORTE CARUARU.


Nota do Diário de Pernambuco de 7 de julho de 1977.
Os caruaruenses chegaram perto de empatar a partida aos 31 minutos, quando o atleta Chaparral entregou a bola para o atacante Hélio Lima, que de fora da área soltou o míssil e Adeildo mandou para fora com as pontas dos dedos, evitando o empate do adversário. A última boa chance de gol da partida ocorreu aos 42 minutos por meio da grande jogada criada pelo atleta Marcos Costa, que se livrou da marcação de Nado e bateu no canto baixo para uma defesa magistral do arqueiro Idalécio. O América venceu o Esporte Caruaru por 2x1 fora de casa sob os olhares de um público de 254 torcedores, que proporcionaram uma renda de 2.789 cruzeiros naquela noite de quarta-feira em Caruaru.

AMÉRICA
Adeildo; 
Vassil, Nilo, Alexandre e Neco; 
Marcos Costa, Cordeiro e Mozart; 
Roberval, Robertinho e Valdir.

ESPORTE CARUARU
Idalécio; 
Fonseca, Nado, Carlos e Chaparral; 
João Luis, Birino e Firmino; 
Paulo, Vavá e Admilton.


quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Um ano do acesso a primeira divisão estadual...



Parece que foi ontem, mas não... Na verdade, ontem completou um ano do acesso do América de volta a elite do Campeonato Pernambucano, após rebaixamento no estadual de 2012. Uma campanha marcada por dificuldades tanto dentro como fora de campo durante três meses de jogos.

E verdade seja dita, o acesso quase não vinha por falhas administrativas. Enquanto o time correspondia dentro de campo, pecava fora dele. Logo na primeira fase do estadual, o América poderia ter encerrado a primeira fase na liderança isolada do Grupo C, não fosse a confusão gerada na escalação de Mauricio que disputava em paralelo o estadual SUB-20 e havia sido expulso primeira partida da semifinal contra o Náutico. Na segunda fase os mesmos erros vieram a repetir, fazendo o Alviverde da Estrada do Arraial perder seis pontos devido a reincidencia e cair para terceira colocaçao do Grupo E. A perda destes pontos seria sentida na final contra o Vitória que devido a esta perda de pontos, acabou fazendo melhor campanha que o América e levando a decisão em jogo único para o Carneirão.

Na terceira fase, iniciava a decisão em jogos eliminatórios de ida e volta. Logo de cara, o América tinha pelas quartas de final o Araripina, um dos favoritos no acesso pelo investimento realizado para garantir a ascenção. Jogando no Ademir Cunha, o América acabou empatando diante dos  sertanejos e necessitava vencê-los ou arrancar qualquer empate com gols para avançar para a semifinal da Série A2. E assim como em 2011, o América foi atrás do resultado no Chapadão do Araripe, saindo derrotado aos 7 minutos de jogo. Mas o Periquito foi valente e conta com Branquinho, um dos heróis desta trama, que deixou o resultado em igualdade ao fim do primeiro tempo e que garantia a classificação alviverde para as semifinais da Série A2. Veio o segundo tempo o volante Mizael do Bode acertou um chute fulminante em cobrança de faltas, sem chances para Grison. Com o gol, sucessivas quedas de energia tornaram-se frequentes com intuito de esfriar o jogo, mas aos 33 minutos veio Everaldo empatar novamente a partida e deixar o Campeão do Centenário a dois jogos do retorno a primeira divisão.

Pela semifinal, teríamos novamente o Olinda.O mesmo Olinda que o América já havia enfrentado na primeira e segunda fase do certame. Não bastasse isso, soma-se o cansado de mais de 700 KM de estrada de Araripina para Recife e enfrentar o time de Nereu Pinheiro em menos de 48 horas depois do decisivo jogo no sertão. Devido a campanha do América na segunda fase ter sido melhor que a da equipe olindense, coube o Periquito por direito decidir o acesso no Ademir Cunha. Na primeira partida, assim como nas quartas de final, um empate sem gols, em um jogo onde a bola não entrou graças o goleiro do Olinda. Foram muitas as chances criadas pelo quarteto Everaldo, Branquinho, Deivinho e Kassio, mas todas bem defendidas pelo arqueiro João Paulo.


Enfim, apenas 90 minutos separavam o América da Série A1. No sofrível gramado do Ademir Cunha, cabia ao América a responsabilidade da vitória e, diferentemente contra o Araripina, qualquer empate com gols dava ao Olinda uma das vagas a primeira divisão do estadual.  Na liderança do técnico Humberto Santos, foram alinhados para o confronto decisivo Grison; David, Jonny, Mauricio e Glauber; Thiago Ramos, Deizinho, Kássio e Silas; Branquinho e Everaldo. No decorrer  da partida entrariam Walber, Marcio e Jackson.

O jogo foi digna de partida de decisão, encardida, com o Olinda o América para seu campo de jogo. O América se defendia e tentava atacar, com os 45 minutos iniciais foram sufoco e sem gols. No intervalo sobrou até pra Nereu Pinheiro, devidamente homenageado enquanto concedia entrevista próximo a torcida alviverde. Veio a parcial final do jogo e com ela veio o alivio esmeraldino. Aos 15 minutos gol chorado! Até hoje ninguém sabe direito de quem foi o gol. Gol Olímpico de Kassio? Gol de Branquinho?  Não importava! O gol dava condições ao América subir de divisão, em casa na frente de sua torcida! Mas ainda havia a apreensão. Qualquer vacilo culminando em gol adversário dava ao Olinda o acesso. 

Na sequência,  pouco mais de 10 minutos, Bia do Olinda foi expulso após entrada desleal em Branquinho. O América viria a perder novamente três ou quatro chances claras de gol, mas coube mesmo a Everaldo marcar o gol da vitória e do acesso! Um verdadeiro golaço, digno de decisão! Uma campanha de luta, ganhando e perdendo pontos em campo e no tribunal, sofrendo com  viagens cansativas, jogos seguidos e sem o apoio semelhante ao dos clubes do interior, com recursos de prefeituras ou mídias locais. Um acesso suado, que recolocou o América na divisão principal para festejar com dignidade o seu centenário.

Sobre o jogo, a gravação feita na íntegra a partir da transmissão da TV Nova Nordeste. A imagem não é high definition, mas vale o registro e a boa vontade do nosso amigo Marcão de Vila Rica, companheiros de anos nas arquibancadas do Ademir Cunha.